Elogios, Produtividade e o Gestor Minuto

Conheces um livro chamado “The One Minute Manager”? Se não conheces, aconselho-te vivamente a leres porque vai ajudar-te a seres um melhor líder.

O conceito de gestão do gestor minuto não é que podes ser um excelente gestor num minuto! O próprio Ken Blanchard, autor do livro, explica que ser um gestor-minuto:

  • é tirar um minuto extra para ajudares as pessoas a estabelecer objetivos!
  • é tirar um minuto extra para elogiares as pessoas que entregam resultados!
  • é tirar um minuto extra para redirecionar quem quem está “a sair dos carris”!

Um estudo recente apresentado pela Carol Dweck, Professora de Psicologia em Stanford, no primeiro dia da conferência NeuroLeadership 2011 em San Francisco demonstrou que existe um tipo de elogio que não só pode levar as pessoas a mentirem como a baixarem a sua produtividade!

Descobre porque é que deves elogiar a capacidade produtiva em vez da inteligência da pessoa, no post “Praise Leads to Cheating” blog da Harvard Business Review!

Vais ser um melhor gestor e um melhor líder por causa disto!

Força, Precisão e Visão

Ultimamente tenho assistido a alguns jogos da liga de futebol americano (NFL).

Para além de serem jogos repletos de momentos de ação, emoção e até algum drama são também uma excelente fonte de lições que podemos aplicar nos negócios e na vida!

Neste post vou partilhar contigo 3 lições importantes sobre:

  • Força
  • Precisão
  • Visão

Força, precisão e visão, são as caraterísticas fundamentais de um excelente quarterback da NFL!

O quarterback é a posição chave desempenhada por um jogador da equipa e que tem como missão fundamental levar a equipa a ultrapassar a linha de touchdown em posse da bola. Para isso, todos os elementos da equipa que está a atacar protegem o quarterback enquanto ele tenta descobrir um companheiro de equipa isolado para passar-lhe a bola.
Esta missão parece mais fácil no papel do que na realidade! Basta veres um jogo de NFL para comprovares isto.

Mas o que é que um quarterback nos pode ensinar sobre negócios?

Força

Frequentemente o companheiro de equipa que está a tentar livrar-se dos defesas e a isolar-se está a várias dezenas de metros do quarterback! Fazer chegar a bola a este tipo de distâncias envolve a utilização de muito força no braço. Quanto mais força for aplicada no lançamento da bola maior é o alcance da bola e maior são os danos feitos na defesa adversária.

Lançar um negócio envolve muita energia e ultrapassar muitas dificuldades! Os desafios são mais que muitos e, com base nas estatísticas, as hipóteses de os ultrapassares não são muito animadoras.

Mas das milhares de maneiras que existem para o teu negócio falhar, a pior maneira de falhares é se nem sequer tentares! Se é que existem vários tipos de falhados, o pior deles todos é aquele que se derrota a ele próprio à partida!

Para conseguires ser um vencedor tens que usar a Força do quarterback e usares toda a tua energia para levantar o teu negócio do chão! Isto torna-se muito mais fácil quando tens paixão por aquilo que fazes. A paixão vai ajudar-te a manter os níveis de energia no topo o tempo suficiente para que o teu negócio alcance o ponto de lançamento.

Tal como no NFL, não tentes fazer um touchdown no primeiro lançamento! Vai conquistando o teu sucesso metro a metro. Rodeia-te das pessoas certas que vão ajudar-te a prepares o teu lançamento para a vitória!

Precisão

Força é importante mas a precisão é tudo. Não adianta um quarterback conseguir mandar a bola para fora do estádio apenas com a força do seu braço. Se ele não conseguir enviar a bola com a trajetória certa e no timing correto… o seu companheiro não vai conseguir agarrar a bola… nem que tenha asas!

O mesmo conceito aplica-se nos negócios. Não adianta trabalhares dia e noite no teu negócio se não souberes o que pretendes atingir. Isto envolve:

  • o que estás a vender?
  • para quem é que estás a vender?
  • o que te diferencia da tua competição?

Para ajudar-te não só a responder a estas e outras perguntas mas também a definires um plano para atingir o Sucesso que procuras, criei o Plano da The Rabbit Way para Vencer a Crise. Imprime, preenche, mas acima de tudo, executa!

O teu objetivo tem de estar tão claro na tua mente que quase que podes tocar nele! Porque se consegues visualizar na tua mente o que pretendes atingir, vais conseguir ver o caminho até lá. No início, o caminho pode estar envolto em nevoeiro mas conforme fores caminhando as coisas vão ficar mais claras.

Simplesmente começa

Visão

Neste momento, já tens a Força que precisas e a Precisão para lançar a bola mas… se não tiveres Visão… vais ter problemas em vencer.

Repara que o quarterback não envia a bola para onde o seu companheiro está. Ele envia-a para onde ele vai estar! Para conseguires fazer isto precisas de Visão!

Ter Visão também é um skill fundamental para os negócios. Se não tiveres Visão vais ser como o quarterback que envia a bola para onde o companheiro está agora, apenas para ver o adversário a intercetar o passe!

Se começares um negócio num nicho onde toda a gente está agora, vais estar a competir (na melhor das hipóteses) com base no preço. Competir com base no preço é uma corrida para o fundo porque nada impede a concorrência de baixar ainda mais os preços.

O tu pretendes fazer é lançar o teu negócio para o próximo nível de inovação. O nível onde ninguém está agora mas onde todos vão querer estar amanhã.
Steve Jobs fazia isto de forma brilhante:

  • ele não criou simplesmente um computador mais rápido: ele reinventou o conceito de computador pessoal com o Machintosh
  • ele não criou simplesmente um leitor de mp3 mais pequeno: ele  reinventou a maneira como experienciamos a música com o iPod
  • ele não criou simplesmente um novo smartphone: ele reinventou o que é um telefone do novo século com o iPhone

Para conseguires lançar um produto que esteja alinhado com as tendências futuras precisas de ter a visão. A melhor maneira de fazeres isto é seres tu a criar a nova tendência!

Não há nenhuma maneira de se ensinar alguém ter visão mas mantém-te sempre atento a qualquer pista que te permita ver como podes inovar e mudar o Mundo. Isto pode acontecer numa conversa com um amigo, ao ler um artigo ou a ouvir uma música…

Pratica também a tua imaginação! Segue o conselho da Alice no País das Maravilhas e imagina 3 coisas impossíveis por dia. E depois atreve-te a concretizá-las.

Conclusão

Para ser um excelente quarterback da NFL é necessário Força, Precisão e Visão. Para TU teres sucesso também precisas de desenvolver essas capacidades!

Usa toda a tua Força e toda a tua energia para levantar o teu negócio do chão! Tira partido da paixão que tu tens pelo que fazes para manter os teus níveis de energia em alta!

Força sem Precisão é inútil! Determina primeiro o que pretendes atingir e foca toda a tua Força nesse ponto. Para te ajudar a concretizar esse objetivo criei o que chamei o Plano da The Rabbit Way para Vencer a Crise! Imprime, preenche e executa-o!

Finalmente, é absolutamente necessário que tenhas a Visão necessária para conseguires ver qual vai ser a próxima evolução! É para aí que todos vão querer estar e é onde deves levar o teu negócios!

A melhor maneira de conseguires prever o futuro é fazê-lo! Conta com a The Rabbit Way para encontrares a tecnologia, a equipa e o capital que precisas para mudar o Mundo!

O que costumas fazer para desenvolver a tua Força, Precisão e Visão?

P.S: Para terminar deixo-te com este vídeo com uma demonstração das caraterísticas que falámos.

Mais do que sites!

A razão da TheRabbitWay.com existir é para fazer muito mais do que permitir-te “fazer sites”!

Na primeira década do ano 2000 ficou provado que é preciso mais do que um site para teres sucesso! Mas passados 11 anos ainda existem muitas empresas que vão pedir-te alguns milhares de euros para teres o teu site estático!

Muitos sites nem funcionam em tablets como o famoso iPad nem nos browsers mais usados para navegar na net como o Firefox ou o Chrome.

Mais tarde, quando quiseres evoluir para uma plataforma de gestão de conteúdos… teres uma loja online… partilhares os teus posts nas redes sociais… ou simplesmente ires evoluindo com as capacidades da tecnologia vais descobrir que vais ter que investir mais dinheiro…

Cria e evolui o teu negócio online!

Com a plataforma da The Rabbit Way, TU vais estar novamente em controlo e deixar de estar dependente de outras empresas!

Primeiro, vamos colocar o teu negócio online em apenas 2 minutos! E depois…

  • Escolhe entre dezenas de temas criados por designers profissionais e que funcionam em tablets e nos principais browsers!
  • Gere o teu negócio online com a tecnologia usada pelos sites de topo!
  • Controla os conteúdos publicados no teu site sem teres que pagar um plano de manutenção ou horas extra de suporte!
  • E se tudo isto não fosse suficiente… Ainda te devolvemos o teu dinheiro se não ficares satisfeito com o resultado final em 30 dias!

Não te esqueças que à medida que a tecnologia vai evoluindo, a plataforma tecnológica da The Rabbit Way é atualizada para garantir que o teu negócio online será sempre líder em inovação e para competires ao melhor nível! Sem que tenhas de pagar mais por isso!

Lembra-te que por muito menos há pessoas que pagam milhares de euros! Mas tudo isto pode ser teu hoje por 1€ por dia!

Mas ainda temos mais 2 razões irresistíveis para nos escolheres!

Encontra a tua equipa na nossa rede!

Por muito conhecimento que tenhas ninguém pode saber tudo e ser bom em tudo! É por isso que precisas de formar uma equipa que tenha os skills que precisas para que o teu projeto tenha sucesso!

Ao entrares na The Rabbit Way vais ter acesso à nossa rede de empreendedores que podem ajudar-te nas diferentes tarefas que precisas concluir. Lembra-te que se és um excelente engenheiro precisas de um excelente marketeer. Se és um jovem visionário precisas de supervisão de adultos. 😉

Cria a tua equipa de sonho, divide os lucros e conquista o Mundo!

Financia o teu projeto!

Ter uma ideia revolucionária é importante. Mas transformá-la em realidade é fundamental. O problema é que para levantar uma ideia do chão é preciso mais do que paixão e conhecimento: é preciso dinheiro!

Foi para ajudar-te a ultrapassar este problema que integrámos na The Rabbit Way uma solução de CrowdFunding!

Como funciona?

O conceito é simples: publica qual o montante que precisas para lançar o teu projeto. Define as recompensas para os teus investidores em função do capital investido. Define um prazo limite para angariares o dinheiro e promove a tua ideia! Se não angariares todo o dinheiro, os teus investidores recebem o dinheiro. Se fores financiado, estás comprometido a cumprir o acordo definido inicialmente.

Conclusão

Imagina combinar o eBay, o Linkedin e o Crowdfunding numa só plataforma tecnológica ao teu alcance.

Imagina ter sempre à tua disposição as últimas inovações em tecnologia web.

Imagina que para teres acesso a isto não precisas de hipotecar o teu futuro ou arriscar as tuas poupanças.

Agora pára de imaginar  e começa a inovar porque a The Rabbit Way oferece-te tudo isto por 1€ por dia!

 

A Way of Life

“There are many things in life that will capture your eye, but only a few will capture your heart….pursue those.”
Michael Nolan

Someone recently asked my a simple question: what The Rabbit Way is all about. Well, to put it simply The Rabbit Way is a way of life and it’s based on three simple pillars:

Three Portuguese words meaning Amor=Love; Família=Family; Coragem=Courage.

Those three words are hand-written by me and my wife on a painting displayed at our house entrance to remind us who we are, why we exist and why we do what we do. However, if you truly want to understand the meaning of these three words, I need to tell you a true story: mine.

Continue…

The Rite of Innovation

Russian composer Igor Stravinsky (1882–1971), ...Igor Stravinsky via Wikipedia

Let me introduce to you a man who revolutionized the world of ballet & music: Mr. Igor Stravinsky.

I want to show you what you can learn from him, use it to innovate and change the World!

It was 1913. The world of ballet was dominated by works like Swan Lake, The Nutcracker, and Sleeping Beauty. Beautiful melodies and graceful dancing. But to Stravinsky this was a rather narrow view of music. He wanted to explore the boundaries of what an orchestra could do and how it could influence an audience feelings. He also wanted to take music back to it’s primitive origins, into a world without imposed rules and without prejudice about beauty. Who gets to decide what’s beautiful and what’s not?

Being a Russian, Stravinsky’s quest took him to the primitive pagan rituals of ancient Russia. But oddly enough, 1913 Russia wasn’t to interested into Russian sounds. It was in France (Paris) that Stravinsky found an audience willing to hear his latest masterpiece: “The Rite of Spring”.

As you start to hear and see “The Rite of Spring”, just allow yourself to relax and completely focus on the sounds and the dancing and let your mind wander…

I don’t know what did you feel while listening to Stravinsky’s “The Rite of Spring” (I would love to read about it in the comments area!) but on May 29 1913, the audience of the Théâtre des Champs-Élysées in Paris started a RIOT!

“Opposition to Stravinsky’s work literally happened within the first few minutes of the piece as members of the audience booed loudly in response to the inharmonic notes accompanying the unrecognizable bassoon’s opening solo.
[…]
As the ballet progressed, so did the audience’s discomfort. Those in favor of Stravinksy’s work argued with those in opposition. The arguments eventually turned to brawls and police had to be notified. They arrived at intermission and successfully calmed the angry crowd (yes, the show wasn’t even half way over before people were throwing punches). As the second half commenced, police were unable to keep the audience under control and rioting resumed.”

Just like happens with all who are ahead of their time, people in 1913 were not ready to hear and see Stravinsky’s “The Rite of Spring”. However, in spite of the what happened in 1913 “today, it is considered to be a milestone in the history of ballet. It has become a regular work in many ballet companies’ repertoires. The music has been used extensively, as in Disney’s Fantasia. It has also inspired composers like John Williams (Star Wars) and Jerry Goldsmith (Outland).” [1]

What does this mean to you?

And why should you care about some guy in 1913 that produced some crazy sounds and imagined a funny ballet?

YOU should care if you’re serious about innovation! If you’re in the “ME TOO” business I’m sorry to have wasted your time. But if you’re in the innovation business as I know you are, you should care about this work.

Innovation is not about making something better or faster or anything that ends in “er” for that matter.
Innovation is not something that you do at the end of your product lifespan. Innovation starts before the product even exists. It starts when you have a vision about something so revolutionary that people won’t forget it.

Innovation is about changing the World! And that’s exactly what Stravinsky did and so should you!

Who are you making angry?

No one? I’m sorry but you’re not innovating. Doesn’t mean that you can’t be successful. Probably you’re competing on price, it’s a margin pressure tactic, and maybe you’re doing fine but… you’re not innovating and most certainly: you’re not changing the World!

Innovation makes the the status quo very angry because the status quo hates change! So, if you don’t hear any complaints about what you’re doing… that’s a strong sign that you’re not changing the game. You’re playing it.

Don’t be afraid to polarize people! Great products polarize people all the time. Not everyone believes that the iPad is the best technology product ever. And that’s OK because Steve Jobs doesn’t want to please everybody. He wants to please Apple’s fans!

Don’t try to please everybody because it’s impossible! Make your fans happy and let them tell the World how great your brand is!

Blow expectations away!

“Harvard University Professor Thomas Kelly suggests that one of the reasons that the Paris premiere of “The Rite of Spring” created such a furor was that it shattered everyone’s expectations.” [2]

Not everyone can look at things the way they are and see them the way they could be. That’s why sometimes someone comes and blows our expectations away.

Don’t create something that we can already see it happen or, even worse, that we already have. We want you to be successful so give us something that we didn’t know it could exist but we need it. In fact, we want it!

Another important thing: you don’t need anyone’s permission to do it! Just get going!
Don’t expect to talk about something revolutionary and hear people say “Yes! That’s a great idea! You’re a genius!”. That’s not going to happen! What’s probably going to happen is this: they’ll tell you that you’re crazy and you’re better off doing what everybody else is doing. What are you expecting from the status quo?

Here’s some examples about the status quo advice about innovation:

I think there is a world market for maybe five computers.
~Thomas Watson, chairman of IBM, 1943.

The Americans have need of the telephone, but we do not. We have plenty of messenger boys.
~ Sir William Preece, chief engineer of the British Post Office, 1876.

So we went to Atari and said, ‘Hey, we’ve got this amazing thing, even built with some of your parts, and what do you think about funding us? Or we’ll give it to you. We just want to do it. Pay our salary, we’ll come work for you.’ And they said, ‘No.’ So then we went to Hewlett-Packard, and they said, ‘Hey, we don’t need you. You haven’t got through college yet.’
~Apple’s founder Steve Jobs tries to get Atari and HP interested in the Machintosh.

We don’t like their sound, and guitar music is on the way out.
~Decca Recording Co. rejecting the Beatles, 1962.

Conclusion

Great visionaries are ahead of their time.

They look at things the way they are and see them the way they could be.

They don’t want to please everybody. In fact, they don’t care if their innovations are making some people angry. They just do it.

They blow expectations way by changing the World as we know it.

I hope that this article inspires you to use your creativity and change the World because we really need you to do it!

GO!

“God gave Artists the gift of making us dream while awake”
Anonymous

References:
[1] Green, A.(2011). The Rite of The Spring Riot, 1913. Retrieved June 19, 2011 from http://classicalmusic.about.com/od/20thcenturymusic/qt/rite-of-spring.htm

[2] Kelly, T. (1999). Igor Stravinsky’s “The Rite of The Spring”. Retrieved June 19, 2011 from
http://www.npr.org/programs/specials/milestones/991110.motm.riteofspring.html

Enhanced by Zemanta

Books on my mind

Those are some of the books that are a part of who I am.

It’s interesting to notice how it shows my evolution from pure software development to the world business, marketing and presentations.

I guess that you can tell a lot about a person by the books on the person’s bookshelf.

And what about you? Any books on your mind?

Next financial crisis October 2011?

Since 2008 that the World is facing one of the most brutal crisis in recent History. It started as a financial crisis, turned into an economic crisis and finnaly a social crisis.

But is it over? I don’t think so.

If you follow the currency exchange markets you’ll see that, if things keep up at this pace, we will reach the same tipping point of 2008 around October 2011.

EUR/USD since 2008 until today from Yahoo Finance

The strength of the US Dollar and it’s role as the reserve currency of the world economy is at record lows. The two rounds of quantitive easing, performed by the FED, have strongly depreciated the USD.

“A lot of countries and investors rely on the dollar as a store of value for their assets because it has the Reserve Currency Status. It can be weak, but if global investors start to have legitimate doubts about the safety of their assets parked and backed by the US Dollar, then we have a much bigger problem than just a slow recovery. We could end up in a currency crisis that takes down the entire global economy, thus sending us right back to where we were in the depths of the financial crisis.”

But not only that. The biggest banks, the ones that were too big to fail, are even bigger than before.

“Paris-based BNP Paribas, the world’s biggest bank by assets, increased its balance sheet by 59 percent to 2.29 trillion euros ($3.5 trillion) since the beginning of 2007, an amount equal to 117 percent of France’s gross domestic product. Assets at London-based Barclays jumped 55 percent to 1.55 trillion pounds ($2.6 trillion), or 108 percent of U.K. GDP. Santander’s rose 30 percent to 1.08 trillion euros, about the size of Spain’s GDP.”

Quoted from a Bloomberg article called European Banks Growing Bigger ‘Sowing the Seeds’ of Next Crisis by By Andrew MacAskill and Jon Menon – December 1, 2009

And what about their performance?

“Bailed-out banks are the nine worst performers in the 64- member Bloomberg European Banks Index since Lehman Brothers Holdings Inc. filed for bankruptcy on Sept. 15, 2008. RBS plunged 85 percent for the biggest decline. Lloyds dropped 63 percent, Commerzbank 58 percent and Dexia 43 percent, compared with the 18 percent decline in the index.”

Quoted from a Bloomberg article called European Banks Growing Bigger ‘Sowing the Seeds’ of Next Crisis by By Andrew MacAskill and Jon Menon – December 1, 2009

But not only that. Oil prices are going through the roof as we approach the 2008 high of 150$.

OIL prices since 2008 until today from XTB trading platform

Stay alert and watch the signals from the markets and by October 2011 we’ll see what happens.

P.S (30-04-2011): It seems that I’m not alone on this forecast. Here’s other articles, wrote well before this one, that point to the same conclusion…

“Bill Achtmeyer, my long-time partner and Chairman and Managing Partner of the Parthenon Group, agrees that macroeconomics eventually win out and we should carefully brace ourselves for what might loom ahead — the next crisis in 2011.”

Source: Harvard Business Review The Next Crisis: Coming in 2011 on Monday September 28, 2009.

“The second half of 2011 will mark the point in time when all the world’s financial operators will finally understand that the West will not repay in full a significant portion of the loans advanced over the last two decades. For LEAP/E2020 it is, in effect, around October 2011″

Source: The Coming Economic Crisis in 2011 on December 16, 2010.

“The banks have again lost confidence and so lend less to each other. The situation is not as bad as in 2008-2009, but you see that it is going little by little in this direction.”

Portugal, a Geração à Rasca e a Crise – Parte 2

O comentário após a manifestação da “Geração à Rasca”, fechando a visão que apresentei em “Portugal, a Geração à Rasca e a Crise

Milhares de pessoas a manifestar o seu direito a comer do mesmo “tacho” que culpam o governo de se orientar, junto com os seus lobbies!

Manifestam o seu direito a um emprego porque têm um curso, a um contracto por recibos verdes são precários e a um salário acima da média porque 500€ não chega para sair da casa dos pais e comprar um carro novo pah!

Enquanto eles, esperam que o governo os “desenrasque”… eu.. em casa a trabalhar e a inovar novas maneiras de transformar o meu conhecimento em ouro…

…como diriam os Deolinda: “Que parvo que sou…”

Portugal, a Geração à Rasca e a Crise

Neste texto pretendo apresentar a minha visão sobre como um curso não é garantia de emprego, a relação entre a “geração à rasca” e a precariedade e outro ponto de vista sobre os Homens da Luta.

Antes de continuar o alguns pontos relevantes sobre mim:
– tenho 27 anos
– sou empreendedor
– não pertenço a nenhum partido político nem religião porque não apoio a divisão é promovida por estas organizações
– não voto porque não acredito neste sistema

a) Direito ao Emprego

Desde quando é que o emprego é um direito? O emprego só existe porque existem empresas. E estas só existem porque há pessoas (clientes ou consumidores) que estão dispostas a trocar dinheiro por serviços ou produtos. Este negócio só acontece quando os clientes verificam que o preço que pagam é menor ou igual ao valor que recebem.
Da mesma forma, o emprego não é um direito. O emprego existe quando há mercado suficiente para justificar o investimento associado a ter um colaborador e quando o valor que este entrega é superior ao seu custo fixo.

Se fazem uma manifestação pelo direito ao emprego, eu convoco todos os empreendedores a fazerem uma manifestação pelo direito aos clientes e consumidores!

b) Precariedade

Antes de analisarmos esta questão é relevante perceber e analisar o contexto empresarial Português.

Segundo o INE (2008), existem em Portugal 1.096.255 empresas. 1.089.221 (99,3%) representam micro, pequenas e médias empresas. A juntar a este cenário temos também a competitividade dos mercados globais onde países como a China, usam a desvalorização da moeda, trabalho (este sim) realmente escravo  e um desrespeito generalizado pela dignidade humana para conseguirem crescer economicamente.

Neste cenário, a precariedade é uma realidade. Isto pode ser uma notícia chocante mas o velho racional do emprego estável para a vida inteira acabou! Querem obrigar 99% do tecido empresarial a acabar com os recibos verdes, fazer contractos e a aumentar os seus custos fixos de forma insustentável?

A era industrial acabou! Os trabalhos “mão-de-obra” intensivos estão a ser realizados por outros países. Nós temos de inovar ou morrer! Estão à espera que o Governos milagrosamente vos dê um emprego só porque têm um curso? Se isto é o melhor que conseguem, a geração “casinha-dos-pais” é bom que fique mesmo pela casinha dos pais enquanto os outros trabalham duro para fazer com que o país siga em frente!

Um curso não é sinónimo de emprego. O que é sinónimo de emprego é conseguirem transformar o vosso conhecimento em valor que possa ser capitalizado!

Para terminar o tema da precariedade, gostaria de partilhar dois factos para ponderarmos:
i) metade da população mundial vive com $2.5 por dia
ii) segundo a Unicef, 22.000 crianças morrem por dia de fome

c) “Homens da Luta” – a outra visão

Os “Homens da Luta” são muito acarinhados pela auto intitulada “geração à rasca” porque representam na perfeição a sua atitude. A luta pelo fim da precariedade e das desigualdades é concretizado através da partilha dos célebres tachos donde comem os “privilegiados” e os “lobbies”.

Enquanto que a verdadeira luta que culminou no 25 de Abril tinha como objectivo a Liberdade, esta nova “luta” tem como objectivo “comprar um carro novo, pá!”

Esta geração acha que tem direito a tudo e que tudo “cai do céu” porque o governo andou na escola de Hogwarts com o Harry Potter e vai fazer com que todos tenhamos emprego, casa e carro! Fantástico. A classe politica dos últimos anos também andou na mesma escola e pensou que o crédito era o feitiço eterno para os nossos problemas. Estamos a pagar esse erro agora.

CONCLUSÃO

Este tipo de manifestações fazem lembrar as birras que algumas crianças fazem quando os pais não lhes dão aquilo que querem… Por isso chorem. Gritem. Queixem-se muito.

Enquanto uns sonham que o sucesso cai do céu… outros trabalham diariamente para o atingir.

A nossa História prova que, unidos, sempre fomos capazes de ultrapassar grandes desafios através da nossa capacidade de inovar. Enquanto uns choravam, gritavam e queixavam-se outros faziam-se ao mar na descoberta do novo Mundo.

Hoje estamos novamente a passar por um momento histórico. Um momento de enormes dificuldades.
Hoje temos uma decisão importante a tomar: queixar-mo-nos dos problemas ou fazer algo produtivo para sairmos deles.

Pista: ninguém nos vai tirar desta trapalhada por nós.

Esta mensagem é para os que têm a coragem de lutar contra tudo e fazer com que todos tenhamos a esperança da vinda de dias melhores.